Bem-vindos à bordo!

Bem-vindos à bordo!
Amigos, estou planejando há algum tempo um blog sobre viagens, porque viajar é muito cool! Estou vivendo na terra do Panda Gigante e quero compartilhar com todos as experiências que eu tiver por aqui. Ao mesmo tempo quero deixar registrado algumas viagens que já fiz por este mundão e muitas outras que gostaria de fazer. Bem, apesar de estar pertinho, não sei se irei visitar o monte Everest, porque não gosto de altura e não gosto do frio! Mas também não tinha ideia de conhecer a China e agora estou vivendo aqui! Coisas da vida! Então, bora viajar e ser feliz!

Pesquisar este blog

domingo, 19 de julho de 2015

Fique em hotéis em troca de serviço!



A Brooklyn Bridge, em Nova York: até lá tem hostel "grátis"/ Crédito: Flickr/hjjanisch


Essa é a proposta da Worldpackers, uma startup lançada há um ano e meio que faz a ponte entre turistas que querem gastar pouco (ou quase nada) durante a viagem, e hostels, pousadas e ecovilas do Brasil e do mundo.
 
Funciona assim: você entra no site (acesse aqui) e, na página principal, digita o lugar para onde quer ir. Em seguida, aparecem todos os hotéis que participam do programa nessa cidade – digitei “Rio de Janeiro”, por exemplo, e surgiram 15 pousadas e hostels.
 
Então, você clica em cima do hostel que mais interessar e vai abrir uma página com as regras para se hospedar nesse lugar. Cliquei no Solar do Cosme, no Rio. Aí, apareceu uma página com uma breve descrição do hostel (em inglês) e os serviços que os turistas podem prestar, em troca de hospedagem grátis. No caso, as atividades solicitadas eram limpeza de cozinha, banheiro, quartos e áreas comuns, e ajuda na cozinha. O trabalho seria de 30 horas por semana, com um dia de folga. Outra exigência era ter inglês intermediário.
 
Aí, se você concordar com o trabalho, seleciona a data em que deseja viajar; e se candidata à “vaga”.
 
Além do Rio de Janeiro e outros destinos no Brasil, tem hostels cadastrados na Argentina, Uruguai, Portugal, China, Sudeste Asiático e Estados Unidos – inclusive na caríssima Nova York; ali, achei a NYC Guesthouse and Hostel). Ao todo, são mais de 90 países.
 
E não tem só trabalho de faxina ou cozinha para fazer. Alguns lugares também solicitam outras funções, como auxiliar administrativo, professor de arte, esportes ou de idiomas, fotógrafo, videomaker e até promoter de festas. Na página principal do site tem um link para pesquisar lugares de acordo com o tipo de serviço solicitado.



viajeaqui

worldpackers.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário