Bem-vindos à bordo!

Bem-vindos à bordo!
Amigos, estou planejando há algum tempo um blog sobre viagens, porque viajar é muito cool! Estou vivendo na terra do Panda Gigante e quero compartilhar com todos as experiências que eu tiver por aqui. Ao mesmo tempo quero deixar registrado algumas viagens que já fiz por este mundão e muitas outras que gostaria de fazer. Bem, apesar de estar pertinho, não sei se irei visitar o monte Everest, porque não gosto de altura e não gosto do frio! Mas também não tinha ideia de conhecer a China e agora estou vivendo aqui! Coisas da vida! Então, bora viajar e ser feliz!

Pesquisar este blog

sexta-feira, 17 de julho de 2015

As cidades mais antigas do planeta

A nossa história vai muito além do que as vezes consigamos ter consciência.
 
Reunindo há milênios muita cultura e história,  essas hoje são as cidades “ativas” mais antigas do mundo.





Jericó, Palestina – desde 9.000 a.C.

É difícil de acreditar, mas esta pequena cidade de apenas 20.000 habitantes é cidade mais antiga de que ainda existe.
Essa é uma antiga cidade bíblica da Palestina, situada às margens do rio Jordão, a uns 8 quilômetros da parte seca do Mar Morto e aproximadamente a 27 km de Jerusalém. Foi uma importante cidade da costa ocidental do rio Jordão.
Ela esteve sob domínio de persas, helenos e romanos, passando em 660 d.C. para o domínio do Califado Árabe. De 1517 a 1918, pertenceu ao Império Turco-Otomano. E atualmente pertence à Palestina.
Descrita no Velho Testamento como a “Cidade das Palmeiras”, abundantes campos ao redor de Jericó tem feito dela um sítio atrativo para habitação humana por milhares de anos. Ela é conhecida na Tradição judaico-cristã como o lugar do retorno dos israelitas da escravidão no Egito, liderados por Josué, o sucessor de Moisés.




Damasco, Síria – desde 6.300 a.C.

Capital da Síria é a segunda cidade mais antiga atualmente. Registros históricos descrevem a colonização do local desde 6.300 a.C., sendo que a partir do segundo milênio a.C., ela já tinha importância política reconhecida.
Atualmente, a região metropolitana de Damasco tem uma população estimada em mais de 4,8 milhões de habitantes. Sua posição geográfica justifica tanta importância. A apenas 80 km do Mar Mediterrâneo, seu território está próximo do Rio Eufrates, o que a colocou durante milênios nas principais rotas comerciais entre Oriente e Ocidente.
Mesmo também tendo registros bíblicos na antiguidade, atualmente a cidade de Damasco é uma grande cidade comercial, cheia de mercados ao ar livre e com tradições culturais muçulmanas. Sua mais notável construção é a Grande Mesquita, construída no século VIII d.C.
 
 
 
Biblos, Líbano – desde 5.000 a.C.

Biblos é considerada a mais antiga cidade da mais antiga civilização da Idade Antiga: os Fenícios. Localizada em uma região que atrai turistas do mundo todo não somente por sua importância histórica, mas por conta da beleza de suas praias.
Sua ocupação milenar também se justifica pela posição geográfica, na rota entre Europa e Ásia. A cidade esteve sob domínio árabe a partir de 636 d.C., passando para domínio Cruzado em 1098, e para o Império Turco-Otomano em 1516. Atualmente, sua população é de apenas 40.000 habitantes, boa parte deles dedicados ao turismo e aos esportes navais.




Alepo, Síria – desde 5.000 a.C.

Alepo é a cidade mais populosa da Síria, com mais de 5,1 milhões de habitantes. Documentos e registros históricos, afirmam que Alepo era o principal entroncamento entre as rotas que ligavam a Europa à China, à Mesopotâmia e, por terra, ao Egito. Atividades comerciais e religiosas fizeram da cidade um dos centros urbanos mais cosmopolitas da Idade Antiga.




Atenas, Grécia – desde 5.000 a.C.

A capital da Grécia, Atenas é, há milênios, a principal cidade do sudeste da Europa. Centro de política, arte e filosofia, a cidade é o berço da cultura ocidental, tanto pela relevância da Civilização Grega, quanto por sua influência sobre o Império Romano. Embora haja registros de ocupação de 5.000 a.C., a região só ganhou importância a partir do segundo milênio antes de Cristo.
Durante a Idade Média, a cidade entrou em decadência, ganhando novamente importância somente durante o Império Bizantino e as Cruzadas. Atenas também esteve sob domínio do Império Turco-Otomano, mas desde o século 19, quando conquistou a independência, é a capital da Grécia. Seus sítios arqueológicos, como a Acrópole, são conhecidos mundialmente.
 

 
casavogue

topnewsartdesign

Nenhum comentário:

Postar um comentário